Publicado em

IV WORKSHOP EM HEMOTERAPIA BYOLINE

Inovações e novas tecnologias em Medicina Transfusional e Terapia Celular

CLIQUE AQUI PARA INSCRIÇÕES: SYMPLA

DATA:  06  e 07 de dezembro de 2019.

HORÁRIO: das 8 às 17:30h

LOCAL: Senac SP Unidade Tiradentes – Av. Tiradentes, 822 (Auditório Térreo)- Luz- São Paulo-SP

  • Para os inscritos no evento a distância- na modalidade “WEBCONFERENCIA”: Vocês receberão ainda esta semana um e-mail com os dados de acesso personalizados. Pedimos a atenção para os requisitos minimos de configuração do seu computador e de conexão para que não tenham problemas no dia das aulas, pois NÃO TEREMOS SUPORTE TÉCNICO disponivel e não poderemos resolver problemas pessoais de conexão nos dias de evento. Em casod e dúvidas, pedimos a gentileza de contactar-nos previamente pelo whatsapp: (11)96343-7100.

PROGRAMA DO EVENTO

06/12/2019 das 8 às 17:30h : MASTERCLASSES COM ESPECIALISTAS

8 às 8:30h Recepção e Credenciamento

8:30 às 9:10h: Inovação na obtenção de hemocomponentes de qualidade- Tecnologia REVEOS

Ricardo Alves da Silva (Especialista Clínico- empresa Terumo BCT)

9:10 às 10h: Validação  do transporte de hemocomponentes

Silvia Leão Bonifácio (Bióloga, Fundação Pró-Sangue/ Hemocentro de SP e Instituto do Câncer do Estado SP)

10 às 10:30h: Soluções para o transporte de hemocomponentes e Cadeia do Frio

Cristiano Carvalho (Gerente de Produtos da empresa AP-Brasil)

10:30 às 10:50h: intervalo para café

10:50 às 11:40h: Atualização sobre Afereses

Joselito Brandão (Médico Hemoterapeuta, Instituto HOC de Hemoterapia- São Paulo)

11:40 às 12:30h: Uso racional do sangue- Patient Blood Management

Silvana Biagini (WEBCAST gravada)- (Médica Hemoterapeuta, Fundação Pró-Sangue/ Hemocentro de SP e Colsan SP)

12:30h às 13:45h: INTERVALO PARA ALMOÇO (LIVRE)

14 às 14:40h: Inovações na era da biotecnologia- overview dos congressos da especialidade

Leticia Medeiros (Webcast gravada) (Santa Casa e Colsan Santos)

14:40 às 15:30h: Terapia Celular e Oncoimunoterapia: Uma nova especialidade?

Maria Regina Andrade Azevedo (Biomédica, Autora do Livro “Hematologia Básica”, Ed. Revinter, 6a ed.)

15:30 às 15:50h: intervalo para café

15:50 às 17:30h: Novas soluções para velhos problemas: O (difícil) manejo dos pacientes aloimunizados

Carla Luana Dinardo (Médica, Fundação Pró-Sangue/ Hemocentro de SP)

07/12/2019 das 8:30 às 17:30h: WORKSHOP DE IMUNO-HEMATOLOGIA ERITROCITÁRIA E PLAQUETÁRIA

8:30 às 9h: Recepção e Credenciamento

9 às 10:30h:  A Cozinha imuno-hematolouca! O preparo e aplicação de reagentes e métodos acessórios/  complementares para elucidação de casos complexos

Ana Lúcia Girello,  Regina Cardoso e Fabiana Santos

10:30 às 10:50h: intervalo para café

10:50 às 12:15h: Vamos ficar imuno-hematoloucos desvendando os misteriosos casos complexos!

Ana Lúcia Girello,  Regina Cardoso e Fabiana Santos

12:30h às 13:45h: Simpósio Satélite 2: BIO-RAD

– Presente e Futuro da Genotipagem de grupos sanguíneos (PCR convencional e PCR digital)

Palestrante convidada: Marcia Dezan (Fundação Pró-Sangue/ Hemocentro de SP)

– Nova solução para os velhos problemas de identificação de anticorpos irregulares

Karina Cruz (Especialista de Produtos, Bio-Rad)

14 ÀS 17:30h: MESA REDONDA COM ESPECIALISTAS EM IMUNO-HEMATOLOGIA ERITROCITÁRIA E PLAQUETÁRIA

– Overview da Imuno-hematologia Eritrocitária: o que há de novo?

Leandro Dinalli (Biomédico, Instituto de Hemoterapia Hospital Albert Einstein SP)

– Overview: onde estamos e para onde vamos na Imuno-hematologia Plaquetária?

Carol Bonet Bub (Médica, Instituto de Hemoterapia Hospital Albert Einstein SP)

– Desafios na construção de um banco de doadores fenotipados e banco de sangues raros

Giselda Aravechia (Biomédica, Instituto de Hemoterapia Hospital Albert Einstein SP)

ORGANIZADORAS BYOLINE CORPORATION: Clique no nome abaixo e saiba mais 

Ana Lúcia Girello    Regina Cardoso    Silvia Leão Bonifácio    Leticia Medeiros

EMPRESAS PARCEIRAS:  SENAC SP E  REMLAB

Apoios Científicos GOLD:

Fresenius/ Immucor, Bio-Rad, pH7id

Apoios Científicos PRATA: 

AP-Brasil, Lorne, Terumo BCT

AGENCIA OFICIAL DO EVENTO: Consulte para pacotes de viagem ou estadia.

OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE O EVENTO:

COMO CHEGAR?

A Av. Tiradentes fica na região central de SP. Tem acesso fácil por ônibus e metrô- descer na estação TIRADENTES (linha azul).

Em São Paulo, os aplicativos de taxi funcionam bem e tem tarifas atraentes.

Na região do Senac existem estacionamentos (para quem for de carro)

No dia do evento, você receberá outras informações, como restaurantes, farmácias & hospitais e atrações próximas.

SOBRE SUA INSCRIÇÃO:

Para os inscritos no evento a distância- na modalidade “WEBCONFERENCIA”: Vocês receberão ainda esta semana um e-mail (no endereço cadastrado no ato da inscrição- favor verificar diariamente sua caixa de mensagem e SPAM) com os dados de acesso personalizados.

Pedimos a atenção para os requisitos mínimos de configuração do seu computador e de conexão para que não tenham problemas no dia das aulas, pois NÃO TEREMOS SUPORTE TÉCNICO disponível e não poderemos resolver problemas pessoais de conexão nos dias de evento. Em caso de dúvidas, pedimos a gentileza de contactar-nos PREVIAMENTE pelo whatsapp: (11)96343-7100.

Sobre cancelamentos ou desistências ou alterações de modalidade:NÃO será possível realizar qualquer devolução dos valores pagos pela inscrição a partir de 7 dias de efetuado o pagamento (segundo a lei prevista no Código de Defesa do Consumidor).
– Qualquer necessidade de alteração na modalidade de inscrição (presencial ou a distância) também NÃO será permitida a partir de terça-feira dia 02/12/2019, sob nenhuma hipótese ou justificativa, e NÃO acarretará devolução de valores pagos, se exceder os 7 dias de efetuado o pagamento, conforme previsto na lei.

Certificados Digitais: certificados digitais de participação no evento serão emitidos em até 10 dias após o término, através de e-mail OU disponibilizados em plataforma a distância, para que seja feito o download do mesmo. Caso necessitem de Declaração de Participação ou Recibo de Pagamento, sugerimos solicitar com antecedência por e-mail: bioline@globo.com e deverá ser retirado com a Secretária do evento no local.

Bioline Corporation

site: www.byoline.com.br

E-mail: bioline@globo.com Phone/ WHATSAPP: (11) 96343-7100

Publicado em Deixe um comentário

Saiba mais sobre o antígeno f !

Referencia bibliográfica: REID, M. E. LOMAS-FRANCIS, C. OLSSON, M.L.
The Blood Group Antigen. Facts Book. 3rd Ed. Elsevier, 2012. Pp.211.
Tradução e adaptação do texto: Ana Lúcia Girello. Março de 2014.

Segundo a nomenclatura da International Society of Blood Transfusion, o antígeno f pertence ao sistema Rh.

Nome: Antigeno f
Nomenclatura ISBT: RH6 ou (004006 ou 4.6)
Nomes obsoletos: ce ou hr
Descrito em 1953.

O antígeno f é um “antígeno composto” expresso em glóbulos vermelhos de fenótipo c+ (RH4) e e+(RH5), sendo estes expressos na mesma proteína Rhce. Exemplo: hemácias dos fenótipos R1r, R0R0

O antígeno f NÃO está presente quando os antígenos c e e estão em proteínas Rh separadas, por exemplo:R1R2

Fig.1. Modelo esquemático das proteínas RhD, RhCE e RhAG.

rhag_genesOcorrencia do antígeno f:
Caucasianos: 65%
Negros: 92%
Asiáticos: 12%

O antígeno f está expresso na proteína Rhce, mas ainda não se compreende exatamente o mecanismo que predispõe à sua formação. Também já está expresso em células de cordão umbilical.

O antígeno f é RESISTENTE ao tratamento das hemácias com enzimas proteolíticas, como ficina, papaína, tripsina e alfa-quimotripsina; e a reagentes Thiol como DTT.

Características dos aloanticorpos anti-f:

–  Reações transfusionais imune-hemolíticas geralmente leves, tardias com possível hemoglobinúria.

–  Também envolvidos em DHPN leves.

Anti-f está frequentemente presente em soros de indivíduos contendo anti-c ou anti-e, formado por indivíduos com antígenos c ou e parciais.

Antígenos compostos: No sistema de grupo sangüíneo Rh, além da existência dos antígenos discretos C, D, E, C e E, ​​há 4 outros antígenos combinados:

–       ce (f),

–       Ce

–       CE (nome obsoleto: Jarvis)

–       cE.

Eles são comumente descritos como antígenos compostos, antígenos produtos de genes na posição cis , ou produtos conjuntos* (*N.T. tradução literal do inglês, mas não utilizado em nosso idioma). O termo é usado para designar o antígeno que é codificado pelo mesmo haplótipo. (isto é, os genes que estão em posição cis ).

O anticorpos contra antígenos compostos são infrequentes, embora não raros.
Tais anticorpos podem ser escondidos por outros anticorpos co-existentes das especificidades Rh mais óbvias. Por exemplo, co-existindo anti-c e/ou anti-E pode mascarar o efeito de anti-f. Sua presença só pode ser demonstrada através de adsorção e eluição com células vermelhas de fenótipos selecionados.

Bibliografia consultada:

REID, M. E. LOMAS-FRANCIS, C. OLSSON, M.L. The Blood Group Antigen. Facts Book. 3rd Ed. Elsevier, 2012. Pp.211.

RUDMANN, S.V. Serologic Problem Solving. AABB Press. 2005.

GENE BANK: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/gene?Db=gene&Cmd=ShowDetailView&TermToSearch=6006

RHESUS SITE: http://www.uni-ulm.de/~wflegel/RH/


 

Publicado em Deixe um comentário

O que são antígenos eritrocitários compostos? O que é “este tal”de anti-f?

Texto escrito por: Monica LaSarre e Joe Chaffin , Junho 2012.
Tradução e adaptação do texto: Ana Lúcia Girello. Março de 2014.
Disponível em : http://www.bbguy.org/ask/ab-f-1.asp#sthash.YNjKhQv1.dpuf. Acesso em 05/03/2014.

O que é este tal anticorpo Anti-f ?

Esta pergunta é boa! Anti-f pode ser um anticorpo difícil de se entender, mas dado o fato de que ele é dirigido contra um antígeno sistema Rh , é importante tratá-lo com seriedade. Primeiro, é necessário compreender a terminologia utilizada para descrever a genética do sistema Rh .

Modernamente, sabemos que existem cinco principais antígenos do Sistema Rh : D , C, C, E, e. Estes antígenos são os mais importantes dos 58* antígenos já descritos (*N.T.: até a presente data) do sistema Rh. No entanto , os outros antígenos do sistema Rh podem ser importantes , já que os anticorpos podem ser formados e podem causar sérios problemas transfusionais, além de dificuldades no diagnóstico laboratorial.
Uma das singularidades do sistema Rh é o fato de que os antígenos podem ser “formados” pela presença de dois outros antígenos presentes ao mesmo tempo, ou numa combinação genética específica . Estes antígenos são conhecidos como “antígenos compostos “, e o antígeno f (o alvo do nosso anticorpo nesta discussão) é um desses.

O que é o antígeno f?

O antígeno f está presente em uma pessoa que carrega um gene que codifica a proteína RHCE com a presença concomitante dos antígenos “c” e “e”. Em outras palavras, uma pessoa tem o antígeno f se ele ou ela tem pelo menos uma cópia do alelo RHce do gene RHCE.

Olhe para a imagem abaixo:

f

Esta é uma imagem simples que retrata um resultado potencial genético de uma mãe R1R1 X pai R2r resultando hipoteticamente em uma criança que tem o genótipo R1r.

O gene RHD está mostrado em vermelho e o do gene RHCE em verde.
Foram realçados com um círculo os alelos RHce dos genes RHCE, demonstrando que tanto o pai como o filho neste exemplo seria f positivos (note que a mãe não tem RHce, então ela seria f negativo).

Revisão rápida: Existem dois principais genes do sistema Rh : RHD e RHCE . Existem quatro variantes diferentes normais (“alelos” ) do gene RHCE , conhecido como RHCE , RHCe , RHcE , RHce ( eles codificam para as quatro combinações diferentes de C ou c com E ou e ).
Estamos dizendo que o “f” antígeno está presente apenas quando um desses quatro alelos está presente , especificamente , RHce . Ainda não está claro ? Se não, é melhor dar uma relembrada na genética do sistema Rh !

Os anticorpos contra antígenos f são aloanticorpos típicos (imunes), ou seja, eles são formados quando alguém é exposto a antígenos que não possuem em seus próprios glóbulos vermelhos , normalmente durante a gravidez ou transfusão. Isto significa que somente aqueles que são f- (negativo) são elegíveis para formar anti-f.

Então, quem é f- (negativo)?
Bem, a resposta padrão dos livros é que: indivíduos f– (negativos) são aqueles que NÃO têm c e e como parte do mesmo haplótipo , ou seja , são pessoas que não possuem o alelo RHce do gene RHCE .

Mas o que isso significa? Vejamos alguns exemplos :

1 . Um indivíduo com o genótipo R1R2 tem os dois seguintes haplótipos: DCe e DcE. Uma vez que não existem os genes “c” E ” e ” juntos em nenhum dos haplótipos , este indivíduo é f – (negativo) . Este indivíduo pode produzir um anticorpo anti-f se exposto às células vermelhas que carreiam o antígeno f .

2 . Um indivíduo de genótipo rr tem dois haplótipos idênticos: Ambos são dce . Neste caso , uma vez que ambos os cromossomos são portadores de genes de “c ” e “e” no mesmo haplótipo , este indivíduo é f+ (positivo) . Como um resultado , ele não faria anti-f se exposto às células vermelhas do f + (positivo) .

Você já pode ter adivinhado isso, mas a maioria das pessoas que tem o fenótipo f-(negativo) são aqueles tipados como Rh+ (positivo)!
Isto é devido ao fato de que a esmagadora maioria das pessoas Rh- (negativas) têm o genótipo rr , e por isso é muito raro encontrar alguém Rh- onde falte pelo menos uma cópia do gene RHce (e portanto, f -).
Já os indivíduos Rh+ (positivo) podem ser f negativo ou f positivo, a saber:
EX: São três os haplótipos mais comuns de RhD+:
– R0: ele trará então o haplótipo RHce (portanto, sendo f+),
– enquanto nos outros dois, denominados R1 e R2, não! Estes, portanto, serão f-!

Como o anti-f é um anticorpo considerado clinicamente significativo, uma pessoa que produz anti-f deve, uma vez que o anticorpo for devidamente identificado, ser transfundido com sangue f- (negativo). Enquanto isto pode parecer fácil, em contrapartida, não é tão simples selecionar um monte de unidades de sangue e testá-las (fenotipá-las) com anti-f!
Na verdade, para selecionarmos as unidades de hemácias adequadas para transfundir pacientes com anti-f, teremos de fazê-lo de uma maneira “de trás para frente”, e isso é o mais importante para vocês, que atuam em serviços de transfusão hospitalares, entenderem:
Os doadores de sangue que são tanto c- (negativo) ou e- (negativo) são f- negativo , por definição ( ver acima , se isso está claro ).
Como resultado disso, e uma vez que a maioria das pessoas com anti-f são Rh+ (positivo), há duas abordagens comuns para esta situação para encontrarmos unidades de sangue compatíveis para a transfusão:
-Na primeira abordagem, o serviço de hemoterapia realizará testes, em um grupo de doadores Rh+ (a menos que o paciente também tenha anticorpos anti-D), fenotipando-os para o antígeno c (N.T.: =buscar bolsas com o fenótipo c-). Estas unidades são f- , também , portanto, unidades c – (negativo) são então utilizados para a realização de provas cruzadas com o soro dos indivíduos que possuam o anti-f;
-A segunda abordagem considera a utilização de reagente anti-c , e é , portanto, mais atraente, e basicamente o inverso do anterior. O serviço de transfusão simplesmente usa soro do paciente para verificar se há compatibilidade com amostras de células vermelhas a partir de várias unidades de doadores. As unidades compatíveis são então fenotipadas para o antígeno c usando anti-soro anti-c, e aquelas que são c- (negativas) são utilizadas para transfusão. Dentro dessa estratégia , o genótipo Rh mais comum para os doadores de sangue dadas a estes pacientes é R1R1 – um genótipo extremamente comum em doadores de sangue caucasianos .
Você pode estar se perguntando por que usar anti-c soro nas estratégias acima e não anti-e (ou por que não usar os dois ao mesmo tempo), não é?
A razão é simples: o antígeno e é extremamente comum e menos de 2% dos doadores de sangue na maioria das populações são negativos para e. Como resultado, faz mais sentido usar um reagente que tem uma maior chance de sucesso (pois o antígeno c está ausente em 20% dos caucasianos e 4% de doadores de afro-americanos) .

Esta tem sido uma discussão complexa , eu sei! A gestão de anti-f é realmente muito, muito simples na maioria dos casos , mas a compreensão dos “porquês” por trás do que fazemos é muito importante. Releia o acima, se não está claro para você ainda , e não hesite em contactar-nos para mais perguntas !

IMPORTANTE: Por favor note que o acima é opinião dos autores . NÃO é uma consulta médica, nem deve ser usado como justificativa para diferem de procedimentos operacionais padrão da instalação. Por favor, correlacionar as informações acima com recursos publicados , e entender que a orientação dada pode não ser aplicável em sua situação clínica ou laboratorial !

Texto escrito por: Monica LaSarre e Joe Chaffin , Junho 2012.
Tradução e adaptação do texto: Ana Lúcia Girello. Março de 2014.
Disponível em : http://www.bbguy.org/ask/ab-f-1.asp#sthash.YNjKhQv1.dpuf. Acesso em 05/03/2014.

 

Publicado em Deixe um comentário

Conheça as novidades da Byoline!

Conheça as novidades da Byoline!

antibodies

Novos Projetos e Produtos Educacionais:
A Byoline, empresa pioneira no Brasil em projetos de educação corporativa para o segmento da Hemoterapia, amplia agora seu portfólio de produtos e projetos educacionais pessoais e corporativos. Também, estende sua atuação a novos segmentos, como Laboratórios de Análises Clínicas e Gestão, Acreditação e Auditoria da Qualidade.
Produtos: para maiores informações e aquisição, vá até a nossa LOJA VIRTUAL no site www.byoline.com.br
Série Treinamento & Proficiência:  
  1. Mini-cursos temáticos compostos por coletânea de webcasts (aulas narradas gravadas) com especialistas. Lançamento da Série “Imuno-hematologia Clínica e Laboratorial”. Já disponível para aquisição em nossa loja virtual  Mini-curso 1: Fundamentos da Imuno-hematologia Laboratorial.

  2. Web-casts temáticos (vídeo aulas): você pode escolher por tema e assistir a aula narrada gravada (off-line) com especialista, pela internet, no dia e horário que for mais conveniente. EM BREVE para aquisição em nossa loja virtual.
  3. Web-conferências temáticas: Você poderá participar em tempo real de um encontro com especialista, em data e hora pré-determinados, interagindo com demais participantes. Encontros periódicos via internet. Aguarde em breve cronograma em nossa página!
Livro
Fundamentos da Imuno-hematologia Eritrocitária.
Autores: Ana Lúcia Girello & Telma Ingrid B. Kuhn
3ª edição, revisada e ampliada, 2011.
Receba em sua casa, com dedicatória!
Disponível para aquisição em nossa loja virtual.

 

Projetos Educacionais e Corporativos
Você e/ou sua empresa precisam:

  • Desenvolver pessoas?
  • Treinar e capacitar seus colaboradores para as atividades práticas?
  • Desenvolver um Projeto de Educação Continuada sob medida às suas necessidades?
  • Otimizar recursos e processos?
  • Implementar Boas Práticas?
  • Implementar Sistema da Qualidade ou Acreditação?
E ainda este ano: Cursos e Workshops presenciais sobre os temas do momento.
Para mais informações consulte: www.byoline.com.br
Entrem também em contato pelo fale conosco. Se preferir pelo telefone (11) 2478-0900 ou SKYPE ana.lgirello2.
Publicado em Deixe um comentário

Curso Bases Imuno-hematológicas: chegou a hora!

ESTÁ NA HORA! Vamos começar a investir na sua carreira? O ano já começou! CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL: BASES IMUNO-HEMATOLÓGICAS. (Carga horária: 40 horas). INÍCIO EM 21/01/2012.
Curso que aborda todos os principais temas relacionados à Imuno-hematologia Eritrocitária, de forma rápida e eficaz, visando a preparação para concursos, provas de especialista e aperfeiçoamento profissional.
Público-alvo: Profissionais da área de saúde- técnicos, graduandos, graduados e
pós-graduados em cursos de saúde e/ou que tenham conhecimentos/ vivência nas rotinas laboratoriais imuno-hematológicas em Serviços Diagnósticos e de Hemoterapia; profissionais de demais áreas que desejem iniciar-se neste segmento.
Temas: Fundamentos da imunologia; Reação antígeno X anticorpo;Reação de aglutinação e seus modificadores;Sistema ABO e os fundamentos da rotina laboratorial; Sistema Rh e os fundamentos da rotina laboratorial;Teste da Antiglobulina Humana e a pesquisa e identificação de anticorpos irregulares;Interpretando o painel de hemácias;Principais sistemas de grupos sanguineos: Overview; Anemias Imuno-hemolíticas: DHPN e AHAI- abordagem laboratorial;Testes da rotina pré-transfusional.
O curso é composto por 10 módulos (8 semanas) e voce escolhe a melhor forma, dia e hora de estudar.  Encontros presenciais via Webconferencia (ON LINE) com tutores especialistas serão agendados com antecedencia, em dia e hora a combinar-se com o grupo. (Estas conferencias também ficarão gravadas e disponiveis durante o periodo de acesso ao curso).
Certificado de Participação: o aluno deverá cumprir 80% das tarefas obrigatórias propostas e receberá um Certificado de Conclusão (digital).
Os seguidores de nosso BLOG ou página Facebook concorrerão a  vagas na primeira Webconferencia realizada neste curso e ao sorteio de um livro “Fundamentos da Imuno-hematologia Eritrocitária”(GIRELLO, AL. KUHN, TIB. 3a edição, Ed. Senac, 2011). INSCREVA-SE no link de nosso site: CONTATO, deixando seus dados cadastrais e receberá um e-mail com login e senha para a sala de conferencia.
Peça o Plano do Curso, com mais informações sobre o curso, a plataforma instrucional, valor do investimento e formas de pagamento, enviando mensagem para o e-mail contato@byoline.com.br (deixe seu nome e e-mail de contato)
Inscrições no curso: www.byoline.com.br/moodleagXac
Publicado em Deixe um comentário

Comunidade Byoline

Olá a todos e sejam bem-vindos ao nosso novo espaço de interatividade da Byoline.
Aqui poderemos construir uma grande Comunidade de Práticas e Aprendizagem, discutindo assuntos técnicos, ou apenas “filosofando”!
Entrem e fiquem a vontade!